Divulgue esse artigo

Como saber se o kart é bom ou ruim rapidamente?

kart bom ou ruim
Atalhos para este artigo

Neste post, descubra como saber se um kart é bom ou ruim sem nem ir para a pista e quando você deve trocar de kart. Boa leitura!

Antes de mais nada, é importante ressaltar que, no kart indoor, não existem dois karts iguais. Sempre haverá diferenças entre as características dos karts, por mais que em alguns lugares do mundo eles tendem a ser mais parecidos.

No entanto, muitas vezes, os tempos entre eles são parecidos. Aliás, hoje em dia os karts são equilibrados por tempo.

Nesse sentido, um bom piloto precisa entender que cada kart terá sua melhor maneira de guiar, se adaptando da melhor maneira possível a cada um.

Quer saber como identificar se um kart é bom ou ruim e quando é preciso trocá-lo? Então, continue lendo este post.

Como saber quando um kart é ruim sem nem ir para a pista?

Em suma, há duas maneiras de saber quando um kart é ruim sem nem ir para a pista:

  • Fazendo um check-list detalhado do kart
  • Verificando o histórico de outras corridas com um piloto de referência

Saiba mais detalhadamente a seguir!

Check-list detalhado do kart

Antes de qualquer corrida de kart indoor, é muito importante revisar o seu kart, a fim de verificar se existe alguma coisa de errada e evitar que você seja prejudicado por algum problema mecânico.

Os pontos mais importantes para serem analisados são:

1. Cheque calibragem de todos os pneus:

Primeiramente, certifique-se de que todos os pneus estão igualmente “duros”. Um pneu murcho, que passa desapercebido, irá amarrar o seu kart tanto nas curvas quanto nas retas. Além disso, você perderá velocidade de contorno e velocidade final. Então, se você verificar que o pneu está murcho, peça para os mecânicos do kartódromo calibrarem.

Por outro lado, um pneu muito cheio vai limitar a aderência do seu kart, assim, ele será bem ruim de curva.

Ou seja, ambos os casos vão acabar com seu tempo de volta. Por isso, você deve sempre verificar se os quatro pneus do kart estão com uma pressão parecida. Para isso, você não precisa de nenhum equipamento especial, pois é possível checar a calibragem com o calcanhar ou com a própria mão (com o polegar).

2. Verifique a vida útil dos pneus:

Um pneu, no fim de sua vida útil, perde uma parcela significativa de aderência, fundamental para fazer as curvas com a máxima perfomance possível. Portanto, sempre cheque o nível de borracha de todos os pneus do kart.

Para isso, existem “furinhos” na própria banda de rolagem dos pneus que indicam a quantidade de borracha restante, como você pode ver na imagem abaixo. Ou seja, quanto maior esse furinho, maior a quantidade de borracha.

Kart bom ou ruim

Sendo assim, verifique a profundidade desses furinhos. Se eles forem inexistentes, o pneu já está no fim. Procure checar os dois lados, tanto o lado de dentro quanto o lado de fora estão com o furinho.

Caso os pneus da traseira não tiverem os furinhos e os da dianteira tiverem, não será tão ruim. Por outro lado, se os da dianteira não tiverem e os da traseira tiverem, o impacto será maior e você perderá tempo de volta.

Além disso, se apenas um pneu tiver ruim, provavelmente o kart ficará desequilibrado.

3. Verifique o acelerador:

Para verificar a aceleração 100%, pise no acelerador e mantenha-o pressionado. Enquanto isso, com as mãos você deve puxar a haste do acelerador que fica no motor.

Se, ao puxar essa haste, ela ainda tiver curso, o motor do kart não estará funcionando em sua capacidade máxima e isso vai matar seu tempo de volta. Nesse caso, você deve mostrar para o mecânico que o kart não está acelerando tudo, para que ele arrume ou você troque de kart.

No entanto, se não houver curso, o kart estará acelerando tudo que pode.

Veja o exemplo abaixo:

Kart bom ou ruim

4. Cheque a presença das molas de retorno

Para cada um dos pedais, deve existir uma mola de retorno.

Em síntese, a função dela é de garantir que, quando você tira o pé do acelerador, o kart não volte a acelerar sozinho. No caso do freio, ela serve para garantir que, quando você freia, o kart não fique freado após aliviar o pé.

Kart bom ou ruim

5. Confira se as pastilhas não estão encostadas no disco:

Certifique-se de que as pastilhas de freio não estão encostadas no disco, pois, se pelo menos uma delas estiver encostada, o kart estará freando sozinho e seu motor não vai desenvolver como deveria, prejudicando o seu tempo de volta.

Para isso, sente no kart, olhe para trás e freie, verificando se as pastilhas estão distantes do disco.

Kart bom ou ruim

6. Analise se o banco não está travando:

Verifique se o banco está travando na medida que você deseja. Afinal, não há nada pior do que seu banco não ficar travado durante a corrida.

Pode parecer besteira, mas isso tira sua concentração e conforto, acabando com sua corrida. O importante na pilotagem é estar confortável.

7. Cheque se o afogador do kart está para frente:

O afogador regula a mistura que passa de ar + gasolina para dentro do motor. Se o afogador estiver acionado, ou seja, para trás, o kart não irá render o que deveria.

8. Verifique os aspectos gerais do kart

Por fim, observe os aspectos gerais do kart e veja se não há nenhuma anomalia, como trincas no chassis, algo quebrado ou solto.

Histórico de outras corridas com um piloto referência

Antes da sua corrida, pegue o histórico das corridas anteriores, ou chegue antes para acompanhar, e verifique no race monitor o desempenho do kart que foi sorteado para você.

Caso um kart tenha ficado em P1, P2, P5 e P3, por exemplo, ele teoricamente é bom.

Por outro lado, se o kart fez um P11, P15 e um P6 milagroso, muito provavelmente é ruim.

Mas, não basta apenas verificar o histórico, pois é muito importante avaliar esses dados de com piloto. Por exemplo, se um piloto bom, que sempre fica na frente, fez um P11, você pode concluir que ele pegou um kart ruim.

Como saber quando trocar de kart?

Em síntese, existem três formas de saber quando trocar de kart:

  • Feeling
  • Tempo de volta
  • Comparando a aproximação/distanciamento em relação aos outros pilotos

Confira mais detalhes abaixo!

Feeling:

Caso você seja um piloto mais treinado, que anda entre 2 – 4 vezes por mês (ou até mais), e você já sabe como o kart teria que se comportar.

Por exemplo, você verifica que o kart não vira nada pra esquerda, ou tem a embreagem ou o motor muito ruim: troca!

Caso você ainda não tenha esse feeling, a melhor maneira de desenvolvê-lo é fazendo um treino de adaptação. Ou seja, vai para o kartódromo, de preferência em horários mais tranquilos, e, nos seus 25 minutos de treino, troque de kart a cada 8 minutos.

Assim, você aprenderá a diagnosticar as diferentes características de cada kart, entender as diferenças e saber quando um kart é bom e quando é ruim.

Tempo de volta:

O tempo de volta é um fator determinante para a troca do kart.

Por exemplo, se um kart estiver com muitos décimos a mais do que deveria fazer, mesmo você fazendo uma volta perfeita, é melhor trocar.

No entanto, as condições da pista também impactam no tempo de volta, assim como o lastro.

Compare a aproximação/distanciamento com pilotos bons:

Outra forma de verificar seu kart é sair atrás de um piloto bom, e verificar se você vai se aproximar ou se distanciar dele.

Se você tiver um nível parecido com o piloto, teoricamente é para você se manter ou chegar nele. No entanto, se o outro piloto ficar muito a frente de você, troque de kart!

E então, gostou das dicas? Para ter resultados ainda melhores, conheça o nosso Curso de Fundamentos do Kart!

Se você gostou deste post, continue acompanhando nossas dicas

Até a próxima!

Outras Dicas de Kart e Pilotagem...